Publicidade

Publicidade

Arquivo de janeiro, 2009

31/01/2009 - 07:30

B.O #XXIV

Compartilhe: Twitter

Objeto voador assusta cidade de Itatira (21/01/2009)

Por Daniela Nogueira

Um objeto voador não-identificado tem assustado os moradores da cidade de Itatira, no Sertão Central do Ceará. Irradiando uma luz muito forte, ele persegue as pessoas. Muitos itatirenses nem saem mais de casa à noite com medo de ver o OVNI.

Todos na região descrevem da mesma maneira. O objeto se move rápido, irradia uma luz muito forte, provoca um calor enorme e não emite barulho algum. São nos distritos da cidade de Itatira, a 216 quilômetros de Fortaleza, em que ele vem aparecendo aos moradores. Na região, há um misto de susto, medo e curiosidade. Ninguém sabe do que se trata. Mas especulações não faltam quanto ao objeto voador não-identificado (OVNI).

Hoje, 21, faz dois meses que ele foi visto pela primeira vez. Era noite, por volta das 21h40min. A aula havia terminado 10 minutos antes e dois adolescentes e uma criança, todos primos, voltavam, em uma moto, da escola para casa, na localidade de Trapiazeiro, distrito de Bandeira, a 35 quilômetros da sede. Francisco Joby Pereira Bastos, 17, guiava o veículo. Maria Gabriele Pinto do Nascimento, 9, vinha no meio e Francisca Marisa Pereira da Silva, 17, atrás. Uma rezava, outra gritava. Marisa viu primeiro. “Era uma claridade, tipo dos postes. Era uma luz vermelha forte e outras piscando ao redor”, conta ela, que se lembra de ter gritado muito, mandando o primo acelerar.

Joby garante ter sentido calor, enquanto o objeto brilhante seguia ao seu lado, emparelhado, no céu, num ponto mais alto. “Senti uma quentura. Estava vendo a hora ganhar os matos”, diz ele. Como os três estavam sem capacete e o caminho é todo de estrada carroçável, um acidente àquela altura poderia ter sido fatal. Gabriele hoje até ri do inusitado, mas naquela noite só pensava em pedir ajuda a Deus: “Rezei Ave Maria e Pai Nosso”.

Depois daquela cena, ficou difícil sair à noite. Marisa evitava. Além do medo, havia a chateação: “A gente levou muito o nome de mentiroso”. Muita gente não levou a sério. A mãe pensava que a filha ia enlouquecer, sem querer sair de casa, indo ao alpendre só olhar para o céu, buscando o objeto iluminado.

Medo

Depois da cena, que passou a se repetir em outras localidades em Itatira, há gente abusando (mais ainda) da imprudência na estrada. Uns só andam agora com o farol da moto apagado. “Parece que a luz da moto chama a atenção, né?”, diz Maria Glaudiene Pinto do Nascimento, mãe da Gabriele, dando seqüência aos boatos da região.

Quilômetros antes, na localidade Bola de Ouro, no distrito de Lagoa do Mato, ninguém viu ainda o tal fenômeno, mas a conversa já se espalhou. Todo mundo já ouviu falar e sabe de algum caso. “Eu não saio de casa de noite. Minha avó e minha mãe sempre falavam que, anos atrás, existiu um disco voador por aqui”, conta Maria Rosilene Pereira, que mora com a filha de seis anos. A menina se assusta até quando vê uma estrela piscando no céu. Chama a mãe e corre para casa com medo do “bicho que pega gente”.

O que é o objeto voador Rosilene não sabe, mas aconselha quanto aos riscos. “É perigoso ficar num lugar descampado. É bom correr e ficar embaixo de alguma árvore. Porque, se ele for descer, engancha nos galhos. Coisa boa não pode ser”, sugere ela.

Fonte: O Povo online

Cidade com Medo (24/1/2009)

Abin pede investigação para OVNIs em Itatira

Por Antônio Carlos Alves

Os moradores de Itatira estão apreensivos com estranhas aparições no céu. Alguns dizem ficar doentes

Itatira. Uma população em pânico. Esse é o cenário do município de Itatira, que fica a 216 quilômetros de Fortaleza, depois das aparições de objetos luminosos não identificados nos céus da região. Os 17.689 moradores do município estão apavorados com os relatos de pessoas que afirmam terem sidos seguidos por Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs). Nos 514 km² da cidade ninguém fala em outro assunto. Diante dos fatos, a Agência Brasileira de Inteligência Nacional (Abin) enviou documento para o delegado regional de Canindé, Francisco José Ferreira Braúna, pedindo que apurasse os fatos na região de Itatira. De imediato, o delegado designou o inspetor Dalton Júnior para acompanhar o caso na zona rural.

O clima de apreensão já tomou conta de estudantes das localidades de Cachoeira BR, Bandeira Nova e Velha, Morro Branco, Lagoa de Dentro, Linda, Pica Pau e Lagoa do Mato. Em Cachoeira, onde reside a jovem Amanda Silva Gomes, 18 — ela fotografou uma das aparições e afirmou que especialistas da Universidade de Campinas (Unicamp) entrou em contato e que, até o fim do mês, vão estar no município para falar com ela —, suas colegas Ana Patrícia do Nascimento, 16, Francisca Claudiana Silva Uchôa, 17, e Maria Katiele Martins Alves, 17, estão decididas a mudar o horário das aulas para evitar serem seguidas pelos objetos. Elas estudam à noite na Escola Eduardo Barbosa e precisam percorrer cerca de quatro quilômetros para chegar até a sala de aula.

Segundo o inspetor Dalton Júnior, o depoimento do agricultor Luís Denis Menezes é “estranho”. “O rapaz me falou que foi seguido por uma luz de cor amarelada com um calor intenso. Tentou fugir, mas a bateria de sua moto descarregou e ele correu mato adentro causando várias lesões no corpo”, disse o inspetor.

Conforme o que foi apurado, mais de 200 aparições já foram registradas em Itatira. Para se ter uma explicação sobre os fatos, de acordo com o ufólogo Agobar Peixoto, de 9 em 9 anos ou de 10 em 10 anos essas aparições se concentram em uma região cearense fazendo uma varredura no Ceará. Ele disse que o caso de Itatira será analisado. Para isso, visita o município hoje. “Considero as imagens feitas por Amanda de grande importância para estudos da Ufologia e um documento raro de ser visto”, disse o estudioso em Ufologia.

Rotas

De acordo com ele, existem duas rotas de Ovnis na região. A primeira começa na Chapada da Diamantina (MG), passa por São Raimundo Nonato (PI), Tauá, Quixeramobim, Itatira e Quixadá (CE). Já a segunda segue a rota da cidades de Canindé, Santa Quitéria, Sobral, Tianguá, todas no Estado, e Pedro II (PI). É como uma espécie de círculo.

Para aumentar o pânico, o pescador Francisco Paulo da Silva, conhecido como Pacatuba, 64, estava em um açude capturando peixes quando viu um objeto luminoso no céu. Assustado, fugiu e perdeu seus equipamentos de pesca e, por consequência disso, diz que agora vive tenso e ansioso.

Outro que afirma estar doente é Manoel Alves Barbosa, conhecido como Bena, 65. Ele conta que já viu o objeto voador por duas vezes. A primeira foi quando se deslocava do distrito de Queima da Onça para Lagoa de Dentro. A segunda vez quando foi pegar o seu jumento Pachola por volta das 19 horas. Os dois casos aconteceram há, exatos, 15 dias.

O prefeito do município, José Ferreira Matheus, e vice, Paulo Ruberto Mota Cavalcante, são cautelosos com referência ao assunto. Porém, irão entrar em contato com autoridades do Estado e ufólogos do Centro de Ufologia Brasileiro (CUB), com o intuito de esclarecerem os fatos.

Fonte: Diário do Nordeste

CUB diz que objeto não é estrela, astro, nem a Lua

É o que diz o Centro de Ufologia Brasileiro (CUB), que analisou a foto do fenômeno, registrada pela moradora da cidade, Amanda Silva Gomes, 18, que presenciou a cena inusitada

Daniela Nogueira

Não é uma estrela, não é um astro, é quase impossível de ser a Lua. Mas não se pode afirmar que o objeto voador que está amedrontando a população de Itatira é uma nave espacial extraterrestre. É o que diz o Centro de Ufologia Brasileiro (CUB), que analisou a foto do fenômeno, registrada pela moradora da cidade, Amanda Silva Gomes, 18, que presenciou a cena inusitada. A fotografia mostra uma luz forte com um fundo preto – condições que não ajudam a ufologia a descobrir o que se trata.

Suposto OVNI fotografado por Amanda Silva Gomes

O que pode ser feito, por enquanto, é alertar as autoridades para que alguma providência seja tomada e que os moradores de Itatira se sintam mais seguros. “É um caso de segurança nacional. Os ufólogos não têm como ajudar a população”, afirma o presidente do CUB, Milton Frank. A Aeronáutica, diz ele, possui equipamento adequado, como um radar, que permite a localização desses objetos móveis.

Os policiais militares de Itatira disseram que não possuem meios e tecnologia suficiente para investigar os casos. Do distrito de Lagoa do Mato, o subtenente Ferreira afirmou que o número de relatos está “fora do comum”.

A Força Aérea Brasileira (FAB), por meio de sua assessoria de comunicação, em Brasília (DF), informou ao O POVO que não havia tomado conhecimento sobre o assunto, mas que iria verificar.

SAIBA MAIS

Há relatos de que um objeto voador não-identificado também tenha aparecido na cidade de Itarema, a 237,1 quilômetros de Fortaleza, na Região do Baixo Acaraú, em novembro do ano passado.

Uma criança de seis anos teria sido atacada pelo objeto e sofrido um corte. De acordo com os moradores da região, o menino chegou a ser submetido a cirurgia. A aparição deste objeto teria sido nas localidades de Córrego Salgado e Alegre.

O prefeito de Itatira, José Ferreira Mateus, o Zé Edval, disse que já ouviu falar no assunto, mas não comunicou a nenhuma outra autoridade. “Ouvi algumas pessoas comentando, mas não levei muito a sério”, diz. Segundo ele, deve tomar alguma medida, mas não há nada definido ainda.

Fonte: O Povo online

Avistamento em massa na capital da Costa Rica

Data: 28/01/2009
Local: Alajuelita, San José, Costa Rica

Um grupo de OVNIs luminosos foi avistado quando sobrevoavam um setor da periferia da capital costariquenha

Segundo reportou a imprensa local, as estranhas naves foram observadas nos arredores da capital Alajuelita e desapareceram de forma repentina.

“Um relampejante jogo de luzes coloridas iluminou o céu escuro de Alajuelita”, disse o jornal referindo-se ao misterioso caso, registrado na quarta-feira à noite, dia 28 de janeiro de 2009.

“O espetáculo incomum fez com que famílias inteiras deixassem a novela pela metade e saíssem às ruas para observar o acontecimento”, relatou o jornal.

A reportagem indicou que a vizinhança se assustou, mas saíram curiosos para observar os OVNIs.

Testemunhas do insólito caso “não podiam dar crédito ao que seus olhos viam: objetos voadores não identificados, nada mais, nada menos que OVNIS”, assinalou o jornal.

Muitas pessoas filmaram com seus celulares o que viam no céu e até mesmo o jornal publicou algumas das imagens. Além de ressaltar que recebeu diversas chamadas telefônicas sobre o assunto.


Foto publicada pelo jornal (Crédito: Oldemar Siles)

Fonte: Diário Extra

OVNI confirmado sobre Alemanha, diz Controle de Tráfego Aéreo

Data: 19/01/2009
Local: Alemanha

Pilotos de caça da Luftwaffe foram enviados em resposta a um drama envolvendo um OVNI sobre o espaço aéreo alemão.

O misterioso objeto foi rastreado através do país todo movendo-se em alta velocidade após ser descoberto por controladores de tráfego aéreo em 19 de Janeiro.

Agora um relatório oficial sobre o avistamento está sendo compilado pelo Departamento de Segurança Aérea (DFS) daquele país.

Investigadores já checaram e excluíram a possibilidade de aeronaves convencionais, balões meteorológicos e condições atmosféricas estranhas.

“Nós excluímos todas as possibilidades convencionais – é um mistério”, disse o porta-voz da DFS, Axel Raab.

Caças da Força Aérea Alemã foram colocados em alerta vermelho e ocorreram dezenas de informes dos objetos conforme eles voavam sobre o Sul do país, incluindo muitos aeroportos que foram colocados em estado de alerta.
Eles sumiram sobre Grafenwoehr, uma área usada por tropas americanas em exercícios de treinamento.

Raab disse: “Quando eles sumiram do radar, nós acreditamos que o que quer que fosse tivesse caído – mas não havia local de queda para ser visto. É um completo mistério. Eles confundiram os operadores de radar porque ficavam piscando na tela como se sumissem e aparecessem seguidamente. Então desapareceram por completo no ar.”

Fonte: Austrian Times

Dinamarca abre seus arquivos secretos sobre OVNIs

Quinta Feira, 29 de Janeiro de 2009

A Força Aérea Dinamarquesa abriu seus arquivos de OVNIs, fornecendo informação sobre mais de 15.000 relatos de avistamentos. Os arquivos estão disponíveis ao público, detalhando eventos ocorridos nos últimos 30 anos.

A Força Aérea Dinamarquesa publicou os arquivos online porque crêem que não há nada secreto nos arquivos. A Força Aérea disse que a maioria dos avistamentos permanecem não identificados porque os detalhes não são precisos o suficiente. Entretanto, alguns dos relatos contém detalhes suficientes para excluir explicações comuns como: aeronaves, fenômenos climáticos ou lanternas chinesas.

Nem todos os eventos são centrados na Dinamarca e um evento sobre a Groenlândia está atraindo atenção especial.

Em 5 de Janeiro de 1981, às 12:50, um objeto flamejante quadrado foi visto aproximadamente 45 graus acima do solo congelado próximo à Base Aérea de Thule. Ele então sumiu tão subitamente quanto tinha aparecido. Coincidentemente, estações de radar na base americana captaram um OVNI em suas telas às 12:50.

Thomas Petersen, capitão da Força Aérea, que tem conhecimento extenso sobre os arquivos, comentou que qualquer avistamento não resolvido é enviado ao Centro Ufológico Escandinavo se eles assim o requisitarem.

Ele acrescenta que a missão principal da Força Aérea é defender a Dinamarca contra ameaças, “e OVNIs não são tidos como ameaça”.

Fonte: The Copenhagen Post online

OVNIs Triangulares invisíveis à olho-nu filmados em infravermelho (visão noturna)

Data: Dezembro de 2008
Local: Fremont, Califórnia

Segue relato da testemunha:
“Estou empenhado em conseguir uma filmadora HD (Alta Definição), e também tenho filtros infravermelhos/UV que estou testando. Estou usando um visor de visão noturna de 3ª Geração e uma filmadora infravermelha/UV modificada.
Eu somente faço uma panorâmica do céu até ver algo de interessante. Normalmente eu vejo algo em cerca de 10 minutos. O tempo tem estado muito ruim ultimamente com muita chuva.
Se você gostar, somente increva-se em meu canal de vídeos e você os verá assim que estiverem no ar. Eu acabo de colocar arquivos de comparação.

Eu tenho muito mais a caminho…fique ligado!

Saudações,
Will”

Filmado em 04/12/2008 em Fremont, Califórnia

Filmado em 05/12/2008 em Fremont, Califórnia

Pássaros X OVNI – Percebam o movimento de batimento das asas dos pássaros

Vídeos feitos pelo mesmo autor do vídeo do post “Frota de OVNIs voando em formação?”

Fontes: You Tube user dede95064
UFO Casebook

Objeto voador desconhecido fotografado no Hawaii

Data: 28/12/2008 – 04:47 hs
Local: Wahiawa, Hawaii

Segue relato da testemunha:
“Você pode checar essa foto que tirei? Ela foi tirada em Wahiawa, Hawaii, 12-28-08, às 04:47 AM.
Pessoas me disseram que o objeto é um pássaro, mas Eu não conheço nenhum pássaro no Hawaii que pareça com isso, mas posso estar errada. Eu tirei a foto com uma Kodak Digital de 7.2 Megapixels.
Obrigada,
Michelle”

Para ver a foto em tamanho grande clique aqui (3072 x 2304px – 1.26 Mb)

Fonte: UFO Casebook

Objeto voador desconhecido fotografado na Indonésia

Data: 04/12/2008 – 11:15 hs
Local: Indonésia

Segue relato da testemunha:
“Revisando fotografias de uma viagem em grupo à Indonésia, Eu percebi este objeto. Eu acho que ninguém viu este objeto já que ninguém disse nada na hora da foto. Estou apavorado após ter descoberto isso.”

Para ver a foto em tamanho grande clique aqui (2592 x 1944px – 2.1 Mb)

Fonte: MUFON – Evento #14800

Disco voador fotografado na Califórnia ou fraude?

Data: 10/01/2009 – 20:33 hs
Local: San Diego, Califórnia

Segue relato da testemunha:
“Esta foto foi tirada em 10 de Janeiro de 2009 enquanto Eu fazia hiking com um amigo no Condado de San Diego.
O disco apareceu rapidamente, pairou e então desapareceu quando eu tirei a foto.
Se você ampliar a foto poderá ver descargas elétricas saindo dos cabos de alta tensão abaixo do disco.
Eu já havia visto outros OVNIs em San Diego, mas somente durante a noite. Este foi muito próximo em plena luz do dia e me fez ficar apavorado!

Câmera – LG Electronics – BG-VX8350

Richard”

Fonte: MUFON – Evento #15156

Objeto voador desconhecido fotografado na China

Data: 27/10/2007 – 20:56hs
Local: China

Segue relato da testemunha:
“Esta imagem foi tirada em um monastério remoto na China. O lugar não é servido por serviços públicos incluindo eletricidade. O objeto não foi notado na hora por mim nem por ninguém presente.
É um lugar no sul da China próximo a uma montanha chamada Emei Shan.
Eu sou um estudante americano e tenho por hábito tirar fotos de locais interessantes e enviar para parentes e familiares.
Após retornar de viagem, minha família estava vendo as fotos e meu padrasto notou o objeto e perguntou se era algum tipo de luminária. Após garantir a ele que não havia nem eletricidade nesta área remota, nós ampliamos a foto para examinar melhor.
Ela mostra detalhes muito interessantes incluindo o que parece ser um pouco de fumaça no topo da coisa e ampliando mais dá para notar distorções atmosféricas acima dando a impressão de movimento para baixo.”

Para ver a foto em tamanho grande clique aqui (1200 x 1600 px – 812Kb)

Fonte: MUFON – Evento #15207

OVNI avistado e filmado por bombeiros na China

Data: 19/01/2009
Local: Liu Pan Shui, China

Por: Audrey Chan

Um notável OVNI foi visto e filmado por um esquadrão inteiro de bombeiros na cidade de Liu Pan Shui na província de Guizhou através de uma câmera com capacidade de zoom de 700X. Um dos bombeiros, Wang Jia Wei, notou uma estranha estrela brilhante  e piscando se movendo em direção ao sudeste e foi em busca de uma câmera para filmar.

Com a câmera em mãos Wang pôde perceber que o objeto era na verdade dividido em dois, um no topo e outro invertido embaixo, formando algo como um diamante. Eles brilhavam em várias cores: Roxo, vermelho, azul, laranja, branco e dourado.

Wang então chamou por seus 8 colegas que observaram o objeto por quase uma hora até este desaparecer subitamente. 20 minutos de vídeo foram filmados para ser mostrado aos repórteres chineses.

Os bombeiros foram à Agência Metereológica de Liu Pan Shui buscar algumas respostas.
Os funcionários da agência se mostraram surpresos, mas foram incapazes de identificar o objeto, declarando então que se trata de um genuíno OVNI.

Não há indícios de que os bombeiros tenham falsificado o filme, a filmagem foi entregue ao departamento astronômico do governo para análises posteriores.
O OVNI corresponde ao que é normalmente descrito por testemunhas ao redor do mundo como ‘OVNI diamante’. Estas naves são usualmente vistas em grandes altitudes e raramente vistas próximas ao solo.

O incidente recebeu atenção massiva da mídia chinesa, embora não tenha tido nenhuma repercussão no ocidente até o momento.
Não surpreende, pois é um incidente bastante crível e convincente, do tipo do qual os governos do ocidente não querem que as pessoas saibam.
O governo chinês, no entanto, é conhecido por ter uma abordagem mais aberta aos OVNIs e sua existência é tida como fato consumado.

Fonte: All News Web

Autor: - Categoria(s): Boletim OVNI Tags:
14/01/2009 - 17:53

SNI investigou OVNIs durante a ditadura

Compartilhe: Twitter

Forças Armadas têm relatos de objetos voadores desde 1952

FERNANDO RODRIGUES
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

“Um objeto luminoso, que fazia evoluções em alta velocidade sobre a parte frontal da cidade de Colares [no Pará]” foi visto pelo menos duas vezes, há pouco mais de 30 anos, nos dias 16 e 22 de outubro de 1977. “A forma do objeto era cilíndrica, quase cônica”, diz um relato pormenorizado. Um desenho rudimentar dessa suposta espaçonave interestelar completa a descrição do episódio.
O documento relatando esse caso não foi produzido por aficionados de objetos voadores não-identificados, ou OVNIs, como se convencionou chamar esse tipo de visão celeste.
Trata-se de um trecho de um informe oficial do governo. Tem 86 páginas, é classificado como “confidencial” e saiu do extinto SNI (Serviço Nacional de Informações), o órgão de espionagem da ditadura militar (1964-1985) -hoje sucedido pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência).
O SNI participou parcialmente de uma missão comandada pela Aeronáutica nos Estados do Pará e do Maranhão, no final de 1977 e início de 1978. O serviço secreto brasileiro era então comandado pelo general João Batista de Figueiredo. Em 1979, ele se tornaria o último presidente militar antes da redemocratização do país.
Quando o SNI tomou parte dessa operação de caça a OVNIs, o regime autoritário já entrava em sua fase crepuscular. O Brasil estava menos convulsionado. O governo havia sufocado os focos de esquerda mais radicais. O “milagre econômico” era coisa do passado, mas o país ainda crescia a taxas anuais de 5%. Os órgãos de segurança estavam mais livres para procurar novos inimigos a combater.
Em meados de 1977, os jornais do Pará e do Maranhão traziam insistentes relatos sobre “luzes misteriosas, causadoras de mortes e alucinações”. Pessoas em contato com o fenômeno apresentavam sintomas de “paresia [paralisia incompleta] generalizada, hipetermia, cefaleia, queimaduras superficiais, calor intenso, náuseas, tremores do corpo, tontura, astenia [fraqueza] e minúsculos orifícios na pele”.
A Aeronáutica não titubeou. Mobilizou homens e recursos para uma missão. Num ato de humor involuntário, batizou a empreitada para buscar discos voadores com o nome autoexplicativo de Operação Prato, segundo relato do SNI.
Além dos agentes do serviço secreto e dos oficiais da Aeronáutica, houve também algum tipo de colaboração da Marinha, coletando histórias com pescadores locais.
A ideia era comprovar se havia OVNIs na região litorânea entre o Pará e o Maranhão.
Os agentes se dividiam em turnos. Faziam vigílias noturnas até o dia amanhecer em lugarejos pouco povoados.
O documento do SNI é apenas um extrato do que está na Aeronáutica e permanece em segredo. O esforço dos “observadores” militares às vezes resultava em nada. Por exemplo, no dia 27 de outubro de 1977:
“1h15 – Observadores instalados no alto da caixa d’água”;
“4h05 – Populares observam o deslocamento de uma intensa “luz” ao nível das árvores (Roberto), informam aos observadores postados na caixa d’água (30 a 40 m de altura) ao nível do topo das árvores, nada observado. Restante do período, nada a relatar”.
Quando raiava o dia, descanso. Sucessivos relatos dos militares da Operação Prato começam assim: “6h30 – descanso até as 14h”.
Eles dormiam de dia e trabalhavam à noite. Algumas vezes, a intensa atividade celeste no turno da noite levava o descanso a se estender até as 15h.
No dia 5 de novembro de 1977, muitas luzes chamaram a atenção dos oficiais da Aeronáutica na missão de encontrar os OVNIs:
“1h00 – Observada “luz” pairando sobre a água no rumo de Joanes/Jobim (PA)”;
“2h15 – Observada “luz” coloração azulada forte, próxima ao farol de Colares, deslocou-se com velocidade sobre a água para o norte. Observou-se uma luminosidade reflexa sobre a água até as 3h25″.
O relatório do SNI não explica o que eram de fato essas luzes. Traz alguns desenhos sugerindo serem naves espaciais. A câmera da marca Minolta modelo SRT-101 usada para fotografar os OVNIs chegou a registrar “uma mancha branca, como se fosse uma luz”.
Em outra oportunidade, “a revelação mostrou uma mancha preta, como se tivesse queimado o filme”.
Em um trecho, fica claro o ceticismo dos militares: “A equipe do 1º Comar [Comando Aéreo Regional] regressou a Belém [PA] mantendo-se reservada com o que foi observado. Não há um consenso entre os membros da equipe sobre o que foi visto, mas parece que essa atitude está intimamente relacionada com o receio de cair no ridículo perante os colegas”.

“ET de Varginha” em sigilo

O documento do SNI sobre a missão da Aeronáutica interessada nas coisas do espaço sideral só se tornou público graças a um pedido da CBU (Comissão Brasileira de Ufólogos).
Ufólogo vem de UFO -em inglês, “unidentified flying object”, o mesmo que OVNI.
Com base num direito garantido pela Constituição do Brasil, os ufólogos pediram acesso a documentos sobre OVNIs guardados pelas Forças Armadas e outros órgãos oficiais do governo federal. O requerimento foi protocolado na Casa Civil da Presidência em 26 de dezembro de 2007.
Em 31 de outubro passado, dez meses depois, chegaram as primeiras 213 páginas de papéis antigos e confidenciais da Aeronáutica. São datados de 1952 a 1969. Na última quinzena do mês passado apareceu o relatório de 86 páginas do SNI, relativo à Operação Prato, de 1977 e 1978. Isso foi tudo.
“É certo que há muito mais a ser revelado. Já apresentamos um novo pedido no dia 5 deste mês e podemos, se for o caso, entrar com um mandado de segurança para que os documentos sejam liberados”, diz Fernando de Aragão Ramalho, da comissão dos ufólogos.
Uma das joias mais preciosas para os ufólogos estaria ainda nas prateleiras dos militares sob a classificação de “ultrassecreto”: o caso conhecido como o “ET de Varginha”, referente a uma aparição nunca confirmada de dois visitantes espaciais à cidade mineira do mesmo nome, no ano de 1996.
À época, segundo relatos coletados pelos ufólogos, o Exército investigou o episódio. No requerimento enviado à Casa Civil, há mais de um ano, são citados 12 oficiais que teriam participado da operação diretamente. O governo ignorou a pergunta sobre o caso “ET de Varginha” e outros.
A Folha entrou em contato com o Ministério da Defesa. Indagou a razão de os ufólogos não receberem resposta específica para as perguntas.
O Exército reagiu com um comunicado lacônico. Não nega nem confirma a participação dos 12 militares no caso de Varginha. Também não responde se mantém esse ou outros arquivos em seu poder sobre supostos OVNIs e seres de outros planetas.
Os militares finalizam afirmando que o “prazo de sigilo de documentos” está regulado pelo decreto 4.553, de 2002. Há uma imprecisão nessa resposta. Esse decreto, editado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, fixava em 50 anos o prazo máximo para certos papéis serem mantidos longe do público. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva editou o decreto 5.301, em 2004, reduzindo esse período para 30 anos. Em ambos os casos, o sigilo pode ser renovado indefinidamente, até a eternidade.
Mas, mesmo sem revelar o que o Exército tem arquivado a respeito do caso “ET de Varginha”, os documentos oficiais divulgados até agora pelo governo mostram que autoridades brasileiras tiveram interesse e investigaram OVNIs ao longos dos últimos quase 60 anos.
O estudo mais curioso é de 1969. Foi supervisionado por um organismo da Aeronáutica: o Sioani (Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não-Identificados).
Funcionários do Sioani entrevistavam pessoas em várias partes do Brasil para coletar informações sobre aparições de possíveis alienígenas. Classificavam os informantes de maneira meticulosa, inclusive os que apresentavam “psicopatologia definida” e “desvio de personalidade”.
Ao final, 63 desenhos ilustram o que seriam os OVNIs avistados pelos brasileiros no final dos anos 60.
Essa galeria de rabiscos produzidos pela Aeronáutica remete a imagens comuns em séries de TV da época, como “Os Jetsons” e “Perdidos no Espaço”. Em dois casos, a nave espacial desenhada tem nítida influência de um automóvel esportivo popular no Brasil daquele período. Tem o “formato de Karmann-Ghia”, afirma o documento.

Caso mostra como regra de acesso a dados públicos é frágil

Mais do que mostrar um aspecto pitoresco das atividades secretas na ditadura militar, os casos de discos voadores investigados pelo SNI e pelas Forças Armadas revelam a fragilidade do sistema de classificação, conservação e divulgação de documentos públicos no Brasil.
A Comissão Brasileira de Ufólogos solicitou acesso aos documentos sobre OVNIs em 26 de dezembro de 2007. Recebeu a primeira resposta parcial em outubro de 2008. E alguns documentos de relevância foram liberados só em dezembro.
Muitos dos documentos requeridos pela CBU continuam em sigilo. Não há resposta satisfatória do governo se algum dia serão liberados. É o caso do episódio popularmente conhecido como “ET de Varginha”, ocorrido na cidade mineira de mesmo nome, em 1996.
O Exército investigou o episódio, segundo o pedido de informações da CBU. O Ministério da Defesa e o Exército nunca responderam.
“Na dúvida, o burocrata sempre suprime informação. Prevalece no país uma cultura de sigilo, não importando a relevância do documento em questão”, diz Claudio Weber Abramo, diretor-executivo da ONG Transparência Brasil.
O Brasil não tem uma lei ampla que facilite o acesso da população a informações produzidas pelo Estado. Mais de 60 países já têm essa legislação.
A Constituição garante o direito de acesso a informações públicas, mas o Congresso nunca regulou o dispositivo. A lei mais recente que trata do tema é a 11.111, de 2005. Patrocinada pelo governo Lula, ela aborda extensivamente as regras de sigilo e muito pouco o sistema de liberação de dados ao público.
No projeto de lei que o Planalto prepara sobre acesso a informações públicas não há, em princípio, preocupação em criar um órgão que faça com que as diversas instâncias cumpram a determinação de divulgar seus documentos.

Fonte: Folha de São Paulo
Link para Assinantes da FSP ou UOL

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
05/01/2009 - 08:00

O vídeo de Antonio Urzi

Compartilhe: Twitter

Data: 24/12/2008
Local: Milão, Itália


Nota: 06/01/2009 – O blogueiro também concorda com a maioria dos leitores e decreta este vídeo como sendo falso. Infelizmente por atitudes desse tipo e pessoas inescrupulosas como Antonio Urzi a Ufologia mais uma vez sai perdendo.

Autor: - Categoria(s): Disco Voador, filmagem, foto, Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
Voltar ao topo