Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria universo

17/06/2010 - 08:00

Marte tinha oceano que cobria 36% do planeta

Compartilhe: Twitter

Dois novos estudos trazem mais evidências de que Marte, um dia, foi coberto por um grande oceano.

Integrando dados da NASA e da Agência Espacial Européia, obtidos pela sonda que orbita o planeta, cientistas concluíram que este oceano cobriu cerca de 36% do planeta e continha 30 milhões de metros cúbicos de água.

Isso teria formado uma camada de 550 metros de profundidade. O volume lá seria 10 vezes menor do que atualmente temos na Terra, embora Marte tenha pouco mais da metade do tamanho do nosso planeta.

Os resultados obtidos pelos pesquisadores da Universidade do Colorado em Boulder, Estados Unidos, indicam também que o planeta possuía um ciclo hidrológico similar ao da Terra, incluindo precipitações, formação de nuvens, gelo e acúmulo de água subterrânea.


Vista da região do polo norte marciano, região rica em gelo: novos dados confirmam existência de hidrosfera no passado

A ideia de um oceano no planeta vermelho vem sendo amplamente divulgada, e desafiada, ao longo das ultimas últimas duas décadas. No entanto, esta é a primeira vez que é feita uma análise tão ampla de características relacionadas à presença de água, como dados de depósitos e de vales de rios. Os pesquisadores usaram o sistema de informação geográfica (GIS) para mapear o terreno de Marte e encontraram mais de 52 deltas de rios que estavam quase na mesma elevação (e alimentam inúmeros vales). Com base nisso, a equipe liderada por Gaetano Di Achille, que publicou seus resultados na Nature Geoscience, acredita ter encontrado os limites do oceano. Exatos 29 desses 52 deltas estavam conectados ou com um antigo oceano em Marte ou ao subterrâneo e a diversos grandes lagos adjacentes.

Mas este não é o único estudo que reforça a idéia de um grande oceano na chamada era Noachian, há mais de três bilhões de anos. Uma segunda pesquisa da Universidade, liderada por Brian Hynek e publicada no Journal of Geophysical Research – Planets,Hoke , detectou cerca de 40 mil vales de rios em Marte. Este número é quatro vezes maior do que o identificado anteriormente, e esta quantidade de vales indica a existência de muita precipitação em Marte.

Juntos, esses resultados embasam a teoria de que havia uma um ciclo de água no planeta, que integrava vales, deltas e oceano. A principal pergunta que os pesquisadores tentam agora responder é: onde foi parar toda essa água?

Fonte: Info Abril

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, reportagem, universo Tags: , ,
22/04/2010 - 18:38

O Sol em altíssima resolução

Compartilhe: Twitter

Sonda da Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos, lançada para estudar o Sol enviou as primeiras imagens do astro. Chamada de Observatório de Dinâmica Solar (SDO, na sigla em inglês), a nave enviou imagens de explosões gigantescas e grandes arcos de gases.

A alta resolução das imagens enviadas pela sonda deve ajudar os cientistas a compreender a atividade solar e o impacto desta atividade na Terra.

Leia mais em: Último Segundo

NASA – Solar Dynamics Observatory

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, sonda, universo Tags: ,
06/01/2010 - 00:00

Nasa descobre planetas gigantes fora do Sistema Solar

Compartilhe: Twitter

Cinco exoplanetas foram detectados pelo telescópio Kepler, enviado ao espaço em 6 de março de 2009.

O telescópio Kepler, da Nasa, detectou pela primeira vez desde que entrou em operação cinco planetas fora do Sistema Solar. O tamanho dos planetas varia de um raio quatro vezes maior do que o da Terra até planetas muito maiores do que Júpiter, o maior do Sistema Solar.

O telescópio, que foi lançado no ano passado para procurar planetas com características semelhantes às da Terra, fez as descobertas poucas semanas depois de entrar em funcionamento.

Os novos planetas receberam os nomes Kepler 4b, 5b, 6b, 7b e 8b e foram anunciados em um encontro da Sociedade Astronômica Americana (AAS, na sigla em inglês), em Washington, a capital dos Estados Unidos.

Todos os planetas circulam muito proximamente às suas estrelas principais – seu sol – seguindo órbitas que variam ente 3.2 até 4.9 dias.

A proximidade e o fato de suas estrelas principais serem muito mais quentes do que o Sol significa que os novos planetas têm temperaturas extremamente elevadas, estimadas entre 1.200°C e 1.650°C.


Concepção artística mostra planeta similar a Júpiter orbitando muito perto de sua estrela (Imagem: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle)

Densidade de um dos planetas é equivalente à do isopor

“Os planetas encontrados são todos mais quentes do que lava derretida; eles brilham de tão quentes”, disse Bill Borucki, o cientista da Nasa que lidera a missão do Kepler no centro de pesquisas Ames, em Moffett Field, Califórnia.

“De fato, os dois maiores são mais quentes do que ferro fundido e olhar para eles é como olhar para uma fornalha. Eles são muito brilhantes por si só e, certamente, não são lugares para procurarmos vida.”

O Kepler 7b vai intrigar muitos cientistas. Este é um dos planetas de mais baixa densidade já encontrado fora do Sistema Solar (cerca de 0,17 gramas por centímetro cúbico) já descoberto.

Segundo Borucki, a densidade média deste planeta é equivalente a do isopor, e os cientistas devem “se deliciar” em estudá-la para tentar entender sua estrutura.

O Kepler foi lançado da estação espacial de Cabo Canaveral em 6 de março do ano passado. Ele está equipado com a maior câmera já lançada ao espaço.

A missão do telescópio é observar mais de 100 mil estrelas de forma contínua e simultânea. Ele percebe a presença de planetas ao observar variações de sombra quando um desses corpos celestes passa em frente ao seu sol.

Mundos de água

Os detectores do Kepler têm sensibilidade extraordinária – segundo a Nasa, se o telescópio fosse voltado para uma pequena cidade na Terra, à noite, seria capaz de detectar a luz automática na entrada de uma casa quando alguém passa por ela.

A Nasa espera que tamanha sensibilidade leve à descoberta de planetas não apenas de tamanho semelhante ao da Terra, mas que orbitem em torno de seus sóis a uma distância mais favorável à existência de vida, onde haja também potencial existência de água em sua superfície.

Os cientistas da missão disseram no encontro da AAS que o Kepler mediu a existência de centenas de possíveis planetas, mas são necessárias mais investigações para estabelecer sua real natureza.

Os cientistas advertiram ainda que podem se passar anos até que seja confirmada a existência de planetas semelhantes à Terra, mas enquanto isso, as descobertas do Kepler vão ajudá-los a melhorar suas estatísticas sobre as distribuições dos tamanhos dos planetas e períodos de órbita.

A existência dos planetas identificados primariamente pelo Kepler foi confirmada por telescópios baseados na Terra, entre eles o Keck I, no Havaí.

Fonte: G1

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, universo Tags: ,
15/11/2009 - 08:00

Nasa anuncia descoberta de água em cratera da Lua

Compartilhe: Twitter

Impacto de foguete contra cratera no polo sul da Lua produz nuvem de material contendo água

Dados preliminares da sonda Lcross indicam que a missão descobriu água durante os impactos de 9 de outubro com uma região em sombra perpétua no fundo da cratera Cabeus, perto do polo sul lunar.

O impacto criado pelo estágio superior do foguete Centauro produziu uma pluma de material dividida em duas partes, ejetado das profundezas da cratera. A primeira parte era composta de vapor e poeira fina e segunda, de material mais denso. Esse material não era exposto à luz do Sol há bilhões de anos.

Cientistas especulavam há anos sobre a explicação para as quantidades de hidrogênio detectadas nos polos lunares por missões anteriores. A descoberta de água pela Lcross ajuda a responder à pergunta. A água na Lua pode estar mais disseminada e existir em quantidade maior que a esperada, diz nota da Nasa.

Além disso, regiões lunares em sombra perpétua podem ter a chave da história e da evolução do Sistema Solar. E a água e outros compostos descobertos poderão ser recursos para astronautas em futuras missões.

Desde os impactos, a equipe cientistas da missão Lcross trabalha para analisar os dados que a nave recolheu. A equipe concentrou-se nos espectrômetros, que trazem as informações mais precisas sobre a presença de água.


Ampliação da imagem da pluma de material impelida pelo impacto na Lua. Divulgação/Nasa

“Estamos extasiados”, disse Anthony Colaprete, principal cientista da missão. “Diversas linhas de evidência mostram que a água estava presente tanto na pluma mais leve e na cortina de dejetos criada pelo impacto do Centauro. A concentração e distribuição da água e outras substâncias requerem mais análise, mas é seguro dizer que Cabeus contém água”.

Fonte: Estadão

Autor: - Categoria(s): ciência, reportagem, sonda, universo Tags: , ,
21/10/2009 - 12:45

Nasa acha molécula orgânica em planeta fora do Sistema Solar

Compartilhe: Twitter

da Folha Online

Pesquisadores da Nasa anunciaram a descoberta de química básica para a vida em um segundo planeta quente e gasoso, muito distante do nosso Sistema Solar. Feito na terça-feira (20), o anúncio da pesquisa também informa que isso permite aos astrônomos avançar quanto à identificar planetas onde a vida possa existir.

O planeta, que leva o nome de HD 209458b, não é habitável, mas possui a mesma química que, se encontrada em um planeta rochoso no futuro, pode indicar a presença de vida.


Química básica para a vida foi encontrada no exoplaneta HD 209458b (na foto, em concepção artística)

“É o segundo planeta fora do nosso sistema solar em que água, metano e dióxido de carbono foram encontrados –elementos potencialmente importantes para processos biológicos em planetas habitáveis”, disse o pesquisador Mark Swain, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa. “A descoberta de componentes orgânicos nos dois exoplanetas já traz a possibilidade de que será corriqueiro encontrar planetas com moléculas que podem ser vinculadas à vida.”

Os pesquisadores usaram dados de dois observatórios em órbita: os telescópios espaciais Hubble e Spitzer, para estudar o HD 209458b –que, além de quente e gasoso, é gigante (maior do que Júpiter) e orbita em uma estrela semelhante ao Sol por volta de 150 anos-luz de distância da constelação de Pegasus.

A descoberta segue a uma outra, ocorrida em dezembro de 2008, que mostrou a presença de dióxido de carbono (CO2) em outro planeta do tamanho de Júpiter, o HD 189733b. Observações anteriores do Hubble e do Spitzer também tinham revelado que o planeta contém água em vapor e metano.

Para rastrear as moléculas orgânicas, a Nasa usou espectroscópios, instrumentos que dividem a luz em componentes para mostrar a “assinatura” de diferentes elementos químicos. Dados da câmera infravermelha do Hubble e do espectrômetro de multiobjetos mostraram a presença de moléculas, e dados do fotômetro e do espectrômetro infravermelho do Spitzer mediram as respectivas quantidades.

“Isso demonstra que nós podemos identificar as moléculas importantes nos processos de vida”, disse Swain. Os astrônomos podem, a partir de agora, comparar as duas atmosferas de ambos os planetas, pelas diferenças e similaridades. Por exemplo: as quantidades de água e dióxido de carbono relativas a ambos os planetas são similares, mas o planeta HD 209458b mostra ter metano em abundância, quando comparado com o HD 189733b. “A alta abundância de metano está nos dizendo alguma coisa”, disse Swain. “Pode significar que houve algo especial sobre a formação deste planeta.”

Fonte: Folha Online

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, universo Tags:
25/06/2009 - 08:00

Lua de Saturno possui oceano salgado sob superfície

Compartilhe: Twitter

(EFE) – Encélado, uma das luas geladas de Saturno, oculta sob a superfície do polo sul um oceano salgado, de acordo com cientistas alemães e britânicos, que publicam hoje a descoberta na revista “Nature”.

O achado pode ter implicações para a busca de vida extraterrestre e para entender como são formadas as luas planetárias, afirmam.

Jürgen Schmidt, da universidade alemã de Potsdam, e Nikolai Brilliantov, da universidade britânica de Leicester, chegaram a esta conclusão após estudar os gêiseres de vapor e gás e as minúsculas partículas de gelo lançados do polo sul de Encélado a centenas de quilômetros no espaço.

A sonda “Cassini” descobriu os jatos em 2005 durante prospecção de Saturno.

Com a ajuda da Universidade alemã de Heidelberg e do também alemão instituto Max Planck, de física nuclear, os cientistas fizeram experiências em laboratório e analisaram dados procedentes do Analisador de Poeira Cósmica de Cassini.

Eles confirmaram que as partículas geladas expulsas pela Encélado contêm quantidades substanciais de sais de sódio, “o que sugere a presença de um oceano salgado a grande profundidade”.

O estudo indica também que a concentração de cloreto de sódio nesse oceano pode ser tão elevada quanto a dos oceanos na Terra.

Esta é a primeira prova experimental direta da existência deste oceano salgado, ao qual Schmidt e Brilliantov já se referiram em outro artigo na “Nature” em 2008, ao explicar que os jatos de vapor eram expulsos com maior força que as partículas de poeira.

Essa força significa a existência de água líquida sob a superfície, e as teorias sobre a formação de satélites sugerem que quando um oceano líquido está em contato durante milhões de anos com o núcleo rochoso de uma lua se trata de um oceano salgado.

Encélado é um de três únicos corpos extraterrestres no sistema solar no qual ocorrem erupções de pó e vapor, e é um dos poucos lugares, além de Terra, Marte e da lua Europa, de Júpiter, onde os astrônomos têm provas diretas da presença de água.

Fonte: Yahoo Notícias

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, universo Tags: ,
23/06/2009 - 08:00

Imagens das Auroras Boreais e Austrais feitas do espaço

Compartilhe: Twitter

O jornal britânico “Telegraph” publicou em seu site um especial muito legal com imagens das auroras boreais e austrais, feitas por astronautas em missões espaciais.

Confira o especial clicando no link abaixo:

Fonte: Telegraph.co.uk

Autor: - Categoria(s): ciência, foto, universo Tags: , , ,
25/04/2009 - 06:00

Um 'show' de imagens do planeta Saturno

Compartilhe: Twitter

Estas impressionantes imagens de Saturno feitas pela sonda Cassini mostram o planeta dos anéis e suas respectivas luas nos mais incríveis detalhes já obtidos.

Visões extraordinárias da atmosfera e da superfície do planeta se somam ao crescente conhecimento sobre o sexto planeta do sistema solar no segundo ano da missão.

As imagens mostram as incríveis diferenças dentro do sistema de Saturno. Em uma imagem, serenos anéis estão elegantemente empilhados em volta do equador, em evidente contraste com a aparência esburacada de uma de suas muitas luas.


Esta imagem foi feita quando a Cassini se movia pelo lado escuro do planeta. Como muito pouca luz consegue atravessar os anéis, eles aparecem escuros comparados à superfície reflexiva de Saturno. Esta visão é uma combinação de 45 imagens feitas ao longo de cerca de duas horas.

 
Esta imagem foi feita durante a maior aproximação da sonda Cassini à lua Iapetus. Ela foi feita com uma câmera grande-angular à uma distância de aproximadamente 2.400 milhas (3840 Kms).

Clique aqui para ver outras imagens e assistir ao vídeo “Como a Cassini mapeia os planetas”.

Fonte: Daily Mail Online

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, foto, sonda, universo Tags: , , , , , ,
09/02/2009 - 11:49

Cientista estima que exista vida inteligente em 38 mil planetas

Compartilhe: Twitter

Da BBC Brasil

05/02/2009

Há civilizações inteligentes fora da Terra e elas poderiam estar presentes em até quase 40 mil planetas, segundo novos cálculos feitos por Duncan Forgan, um astrofísico da Universidade de Edimburgo, na Escócia.
A descoberta de mais de 330 planetas fora de nosso sistema solar nos últimos anos, ajudou a redefinir o provável número de planetas habitados por alguma forma de vida, segundo um artigo de Forgan publicado na revista especializada “International Journal of Astrobiology”.

As atuais pesquisas estimam que haja pelo menos 361 civilizações inteligentes em nossa galáxia, e possivelmente 38 mil fora dela.
Mesmo que haja quase 40 mil planetas com vida, no entanto, é muito pouco provável que seja estabelecido qualquer contato com vida alienígena.
Pesquisadores apresentam estimativas de vida inteligente fora da Terra com frequência, mas é um processo quase que de adivinhação – estimativas recentes variam entre um milhão e menos de um planeta com alguma forma de vida.
“É um processo para quantificar nossa ignorância”, disse Forgan.
Simulações
Em seu artigo, Forgan conta que criou uma simulação de uma galáxia parecida com a nossa, permitindo que ela desenvolva sistemas solares baseados no que se conhece a partir da existência dos planetas fora do nosso sistema solar – os chamados exoplanetas.
Esses mundos alienígenas simulados foram então submetidos a três cenários diferentes.
O primeiro cenário parte da premissa de que o surgimento da vida é difícil, mas sua evolução é fácil. Neste caso, haveria 361 civilizações inteligentes na galáxia.
O segundo parte do princípio de que a vida pode surgir facilmente, mas sua evolução para vida inteligente seria difícil. Nessas condições, a estimativa é de que haveria 31.513 outros planetas com alguma forma de vida.
O terceiro caso examina a possibilidade de que a vida poderia ter passado de um planeta para outro durante colisões de asteroides – uma teoria popular de como a vida surgiu na Terra.
Neste caso, a estimativa é de que haveria 37.964 civilizações inteligentes.
Suposições
Se, por um lado, a descoberta de novos planetas distantes e desconhecidos pode ajudar em uma estimativa mais precisa sobre o número de planetas semelhantes à Terra, algumas variáveis nesses cálculos continuarão sendo meras suposições.
Por exemplo, o tempo entre a formação de um planeta e o surgimento das primeiras formas de vida, ou deste momento até a existência de vida inteligente, são grandes variáveis em uma suposição geral.
Nesses casos, afirma Forgan, teremos que continuar partindo do princípio de que a Terra não é uma exceção.
“É importante nos darmos conta de que o quadro que construímos ainda está incompleto”, disse o astrofísico.
“Mesmo que existam formas de vida alienígenas, nós não necessariamente conseguiremos fazer contato com elas, e não temos nenhuma ideia de sua forma.”
“A vida em outros planetas pode ser tão variada como na Terra e não podemos prever como são as formas de vida inteligente de outros planetas, ou como elas se comportam”, conclui.

Fonte: UOL Ciência e Saúde

Autor: - Categoria(s): ciência, cosmologia, Sem categoria, universo, vida extraterrestre inteligente Tags: , , , , , ,
14/03/2007 - 01:28

Incrível relato de um Contato Imediato de 3° Grau ocorrido na Polônia

Compartilhe: Twitter

Traduzi uma matéria produzida pela ufóloga Nancy Talbott e publicada no site BLT Research. Trata-se de um incrível Contato Imediato de 3° Grau ocorrido em Agosto de 2003, em Szczecinek, Polônia, com evidência direta de um OVNI deixando marcas em uma plantação, o famoso “crop-circle”.

Por Nancy Talbott

Relatório de Campo: Marcas de aterrissagem de OVNI = crop-circle

Em 26 de Abril de 2004 o site Rense.com postou uma ocorrência intrigante vinda de Brian Vike (HBCC UFO Research) sobre um “encontro imediato de 3° grau” ocorrida 8 meses antes, em uma área rural do Norte da Polônia. (Fonte de Vike: Tomek Wierszalowicz).

Meu grande interesse foi o fato de que a testemunha havia descoberto áreas achatadas de plantação no campo após o OVNI partir. Vários círculos formando uma configuração nas fotografias obtidas eram idênticas aos chamados “crop-circles”(círculos de plantação). Seria esta a primeira evidência clara de que são os OVNIs os causadores diretos de ao menos alguns dos “crop-circles”?

Em Outubro de 2006 eu me encontrei com a testemunha ocular em uma conferência em Warsaw onde nós conversamos e depois gastamos um dia inteiro em uma viagem à Zdany(onde membros do Grupo Nautilus e eu estávamos investigando outro incidente de OVNI). Os tradutores presentes na Conferência Nautilus eram excelentes, e o subseqüente questionamento intensivo feito por mim para o Sr.Chacinski e seu amigo Zbyszek Kalisiak (traduções aprofundadas neste texto feitas por Less Hodun) revelaram algumas correções em relação ao texto original, assim como muitos detalhes adicionais.
Estou convencida da honestidade total do Sr. Chacinski e sua habilidade para recontar precisamente os detalhes deste incidente, e também percebi que os “crop-circles” – que eu sempre achei que não fossem relacionados aos OVNIs – algumas vezes são.
Em seguida está uma compilação do texto original, já com os novos detalhes fotos e ilustrações

Lech Chacinski é um motorista de caminhão que vive em Wierzchowo, Polônia com sua mulher e crianças. Na manhã de 11 de Agosto de 2003, ele saiu para trabalhar às 4:20 da manhã, mas ao chegar à uma ponte perto de Szczecinek ele observou 3 figuras (em formação triangular, um à frente dois atrás) na frente dele na estrada – a figura na frente com sua mão levantada como em um cumprimento. Ao frear seu carro, o trio andou até ele, e ele achou que fossem homens vestidos em trajes similares ao de astronautas. Entretanto, ao chegarem perto da janela do motorista ele percebeu que havia algo “extraordinariamente perturbante” neles.

Sentindo-se quase congelado à aproximação do primeiro humanóide(Lech o chamou de “líder”) do triângulo em sua janela, Lech pôde ver um capacete escuro com um visor feito de algum material transparente, através do qual ele viu 2 grandes (3cm de diâmetro) olhos redondos e negros mas não viu outros detalhes faciais. Ao perceber plenamente o que estava acontecendo, Chacinski quis fugir dirigindo imediatamente, mas um cegante “facho de luz” disparou de uma câmara retangular acima do capacete do “líder” e Chacinski perdeu a consciência.

Quando ele a recobrou alguns momentos após ele se sentiu “calmo” e sabia que o “líder” estava falando com ele telepaticamente e que ele não devia se assustar. Ele ouviu a questão: “Você nos ouviu?” e mentalmente respondeu “sim”, após isso lhe foi dito que descesse do veículo, o que ele fez relutantemente.

Lech, descreveu as entidades como sendo do tamanho de humanos altos (aprox. 190 cm), com forma humana básica (2 braços, 2 pernas, torso e cabeça), usavam um macacão bem justo de um material grosso, cinzento e elástico. Ele diz que estes macacões pareciam ser “inflados de dentro para fora” e eram “integrados com seus sapatos e luvas”. Em seus capacetes havia um tipo de banda em volta da testa que tinha uma fonte de luz no centro e no topo havia algo que Chacinski descreveu como um aparelho de comunicação. Ele não viu nenhuma insígnia nas roupas, mas em seus peitos havia um painel retangular e quadriculado com 7 linhas de luzes coloridas diferentes. Ele não se lembra a combinação das cores, mas diz que as luzem caíam em seqüencia, uma por uma, como uma fonte. Eles também tinham mochilas nas costas que pareciam com as usadas por astronautas.

Durante os aproximadamente 15 minutos do encontro, Lech, telepaticamente percebeu muitas questões colocadas a ele pelos seres. “De que material seu veículo é feito?” “Como isso funciona?” “Que tipo de combustível usa?”. O Sr. Chacinski fez o seu melhor para responder e notou que eles expressavam surpresa quando ouviam como o veículo operava. Eles também mostraram interesse em sua roupa em particular no cinto e sapatos. [Este detalhe é de grande interesse, seres encontrados em outro caso de contato na Polônia(a ser apresentado separadamente) também mostraram grande interesse nos cintos e sapatos da testemunha]

O “líder”(que foi o único a se comunicar) disse então que eles tinham vindo deixar uma mensagem ao habitantes da Terra e Lech sentiu que estava sendo encarregado de espalhar ao máximo esta mensagem.

Em essência a mensagem era de que devemos tomar conta de nós e de nosso planeta e que se continuássemos a desrespeitar as leis da Natureza, o resultado seria catastrófico. Porquê este encontro, e essa mensagem -aparentemente sobre o ambiente- foi entregue à Lech, ele não faz nenhuma idéia. O Sr. Chacinski, conseguiu aparentemente perguntar apenas uma coisa destes seres: “De onde vocês são?” à qual eles responderam “Oitava Galáxia”. Eles também lhe disseram que retornariam, embora não tenham dado detalhes de quando, onde e por qual propósito.

Realmente impressionado pelo presente encontro, Chacinski então assistiu aos seres levitarem cerca de 3 metros no ar e flutuarem através do campo adjacente a estrada para um “sólido disco de metal” afastado cerca de 300 mts(o qual ele não havia percebido até então). Lech calcula que o corpo do OVNI tinha aproximadamente 50 metros de largura por 20 mts de altura(as “pernas” sendo embaixo do corpo da nave).

Haviam 3 linhas de janelas coloridas individuais na metade superior do OVNI e 3 armações de 5 mts de comprimento, como vigas-mestra, que eram os pés da nave, cada uma delas terminava em 2 apoios redondos que aparentemente nivelavam o OVNI no terreno irregular no topo do monte. [Lech não está absolutamente certo de que os pés tocavam o solo]
No topo do OVNI havia uma câmara opaca e duas “antenas”. Os seres aterrissaram perto da nave e andaram até um ponto onde um “facho muito forte de uma luz branca-azulada” disparou de uma abertura redonda que abriu embaixo da nave. Este “facho de luz” levou os três seres para dentro do OVNI, após isso acontecer a porta se fechou e uma nuvem colorida envelopou a nave.

O disco então flutuou sobre o solo cerca de 50 mts, parou brevemente, (a fumaça então se dissipou) e então foi embora num ângulo de 70° Graus em direção à Sudeste, fazendo um barulho sibilante como “ssssssss”.

Após a partida do disco uma marca de múltiplos círculos pôde ser vista no campo, nos quais as plantas estavam enroladas e achatadas, com círculos menores exatamente nas áreas aonde o Sr. Chacinski viu os pés da nave.

Ao  voltar para o carro após o disco ter partido um conhecido de Chacinski parou próximo a ele, perguntando se ele precisava de ajuda. Dizendo que não, que estava bem, Lech então percebeu que ele não havia visto outros carros passando durante o incidente todo e se perguntou se de alguma forma os humanóides teriam causado isso.

Ele foi trabalhar e a príncipio não disse nada aos colegas sobre o incidente. Ele, no entanto, ligou para a polícia anonimamente para reportar o “crop-circle” e então foi para casa por um tempo e contou à sua mulher sobre a experiência. Eles discutiram sobre o que fazer, em particular sobre a “mensagem” que ele havia recebido. Lech diz que não queria falar nada sobre o encontro matutino.

Mas, naquela tarde, de volta ao trabalho, ele decidiu notificar a polícia novamente, desta vez identificando-se e descrevendo o evento inteiro. Ele também contou aos seus colegas e outros, sofrendo as subseqüentes ridicularizações e “tempos muito ruins”, com muitas pessoas rindo dele e fazendo graça de seu relato.

Lech retornou ao “crop-circle” no dia seguinte com seus dois filhos, sua filha e o marido dela e andou no grande círculo interno. Após alguns minutos dentro do círculo ele novamente experenciou um momento “tão ruim quanto quando foi cegado pelo facho de luz do “líder”, mas desta vez ele não perdeu a consciência. 

Durante 3 ou 4 meses seguintes ao encontro ele diz que sentiu extraordinariamente “tranqüilo” e desinteressado em brigas ou levantar sua voz, uma mudança também notada por sua mulher e amigos.

Baseado em duas novas fotos obtidas, abaixo (assumindo que a altura do homem no centro do círculo seja de cerca de 2 mts de pé), eu medi o círculo do meio como tendo 22 metros de diâmetro. Se a estimativa do Sr. Chacinski estiver correta, o “crop-circle” inteiro estava sob o OVNI.

Até onde sabemos esse é primeiro relato detalhado de um OVNI “sólido” e de seres “humanóides” diretamente associados à criação de um “crop-circle”. Outros testemunhos contam de fenômenos aéreos iluminados criando “crop-circles”.

Para mim, tendo agora encontrado e gasto um tempo considerável com Lech e alguns de seus amigos, este relato resolve qualquer dúvida que houve um OVNI envolvido na criação deste “crop-circle”. E também me parece que os OVNIs -o que quer que sejam- tem associação mais direta do que eu pensava com os “crop-circles”.

Isto significa que todos os “crop-circles” são causados por OVNIs? A maioria dos pesquisadores de “crop-circles” que eu conheço não acham isso. E se, isso indica então que há muitos agente causadores, bem, começa a parecer que qualquer compreensão profunda deste bizarro fenômeno pode ser mais elusiva do que primeiramente era suspeito.

P.s. – Na transcrição final de Less Hodun sobre o encontro de Chacinski, ele incluiu uma questão que havia perguntado um ano ou mais antes e a resposta de Lech. Eles estavam sentados em um café após um simpósio em Police, Polônia. O sr. Hudon perguntou se Lech já havia experienciado alguma situação não-usual anteriormente.
A resposta de Chacinski foi direta. Cerca de duas semanas antes do encontro em Szczecinek, alguma coisa estranha havia acontecido em sua casa. Era por volta da meia-noite e Lech e sua mulher assistiam TV. Sua atenção foi atraída por um tipo de ponto de luz, de cerca de 3cm de diâmetro, movendo-se horizontalmente da esquerda para direita correndo junto ao topo da parede, próximo ao teto. Lech não disse nada, mas ao continuar a olhar o ponto de luz ele se sentiu magnetizado. De repente o ponto de luz desceu à altura de sua cabeça e vôou direto de encontro a ele, indo diretamente ao seu olho esquerdo. Ele correu ao banheiro, lavou os olhos vigorosamente com água fria e voltou à sala. Ele perguntou à esposa se ela havia visto algo estranho, mas ela disse que não.

Fonte: BLT Research

Autor: - Categoria(s): avistamento, contato imediato, Disco Voador, reportagem, universo, vida extraterrestre inteligente Tags: , ,
Voltar ao topo